quarta-feira, 6 de julho de 2011

Inovação: você tem medo de arriscar?

Com o mundo e, consequentemente, os mercados se transformando numa velocidade nunca antes vista, a palavra inovação tem sido repetida como um mantra em todas as empresas. Será que todas as companhias, entretanto, já se deram conta de qual o papel do "fazer diferente" para o crescimento de um negócio?

O norte-americano Mark W. Johnson, co-autor do livro "Inovação para o crescimento", explica, em entrevista ao Administradores.com.br, que "as mudanças se dão num ritmo cada vez mais rápido e, portanto, as empresas precisam estar preparadas para se reinventar. As novas tecnologias estão ocupando os espaços de tal modo que uma hora podem se tornar uma ameaça", caso você não as acompanhe.

"Veja o que está acontecendo com os e-books no mercado de livros. Não se trata simplesmente de criar novos produtos, mas sim de entrar em novos mercados e conquistar novos clientes através de novas práticas", afirma Johnson.

Riscos

Inovar, no entanto, envolve riscos, certo? Sim, mas Johnson chama atenção justamente para os riscos de não inovar. "As empresas precisam inovar para crescer em outros mercados, em vez de simplesmente sustentarem-se nos nichos já conquistados", ressalta.

Um exemplo que ele dá é o da IBM, que apostou nos computadores pessoais quando ninguém acreditava que aquilo poderia dar certo. O resultado todos já sabemos: você se imagina sem seu computador?

Ouvir os clientes: eles estabelecem as regras

Hoje, mais do que nunca, os clientes determinam como o mercado deve agir (ou, pelo menos, deixam escapar algumas dicas sobre o que querem). "Você tem que perguntar aos clientes o que eles querem, em vez de ficar simplesmente falando sobre os atributos dos seus produtos. E você tem que entender as respostas de todos os pontos de vista, incluindo suas emoções", destaca Johnson. 



Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conto com sua participação.Comente.

Postagens Recentes: