sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

5 dicas para fazer o seu negócio bombar na web

As redes sociais, inicialmente utilizadas apenas por usuários e voltadas para o entretenimento ou discussões, atualmente são ferramentas fundamentais para o empresário que quer dar visibilidade e fazer com que seu negócio cresça. É nas redes que uma empresa interage com o consumidor rapidamente, "ouvindo" elogios ou queixas em primeira mão e, assim, adquirindo parâmetros para melhorar ou manter o padrão de um produto.

Por isso mesmo, as redes sociais são um meio muito mais eficiente que os velhos "Fale conosco", que não acompanham a rapidez das informações e das interações na internet. Assim, muitas empresas já passam a utilizar as redes, fato que há algum tempo deixou de ser tendência. "As redes são um veículo poderosíssimo de comunicação das empresas. O consumidor tem nas redes a forma mais rápida para se comunicar", diz Ivan Martinho, diretor da Bookstore Media.

A troca entre consumidor e empresa se tornou muito mais satisfatória e dinâmica para ambos e esse é um dos motivos para os empresários investirem fortemente nestas mídias, que são várias. Apesar disso, não é escolhendo aletoriamente as redes em que vai se atuar que se consegue bons retornos. É preciso conhecer o universo de cada empresa, gestor e público alvo, o que é uma premissa para o desenvolvimento de projetos para redes sociais, de acordo com Marcelo Abdo, CEO da agênciapic. "Não adianta oferecer uma determinada rede a uma empresa, sem antes entender qual é o seu público, onde este público está e o que ele quer consumir", afirmou.

Uma boa estratégia de marketing em plataformas como Facebook e Twitter gera ainda mais oportunidades para empresas (Imagem: Thinkstock)

As redes mais populares entre as empresas

No Brasil, as redes sociais mais populares entre organizações e usuários são Facebook, LinkedIn, YouTube, Twitter e o Orkut, de acordo com Fernando Neves, diretor da Ketchum Digital no Brasil. Já em escala mundial, ele afirma existirem cerca de 30 redes sociais que recebem de um milhão de visitas diárias. No entanto, é preciso haver atenção em relação à utilização dessas ferramentas. "As empresas precisam analisar em qual das redes sociais os seus consumidores estão e a melhor forma de engajá-los nos assuntos de interesse", ressaltou.

Um exemplo é o do Hotel Urbano, que tem mais força no Twitter (com 8 mil seguidores) e, principalmente, no Facebook (onde conta com mais de 1 milhão de fãs), de acordo com Roberta Oliveira, diretora de marketing da empresa. "No Facebook a resposta é mais imediata. A vantagem do twitter é que o seu usuário é formador de opinião", comparou Roberta.

Mas existem outras redes que são populares em grupos mais segmentados. Eduardo Shuto, gerente geral da Ananke - empresa especializada em hosting gerenciado de alta disponibilidade para campanhas de marketing digital -, afirma que têm uma grande força redes "como blogs, LinkedIn e Reddit (fórum) que também podem ser relevantes dependendo do segmento", explicou.

5 passos para fazer com que sua empresa faça sucesso nas redes
Apesar de ser fundamental saber que para cada empresa existe uma rede social mais indicada, ainda é preciso saber como utilizar essa ferramenta de maneira correta para que não traga, ao invés de soluções, dores de cabeça. Cláudio Coelho, presidente da Associação Paulista das Agências Digitais (Apadi), sugere 5 passos para quem quer elaborar uma estratégia linear e de fluxo constante, fundamental nas redes sociais.

1º- Pensar: o primeiro passo é entender que as redes sociais são mais um canal de comunicação assim como os tradicionais mas, por serem um meio público e instantâneo, nessas plataformas as informações devem ser dinâmicas e as respostas rápidas. Qualquer demora pode gerar uma crise. O ideal é que nesta fase participe alguém que conheça profundamente a empresa e alguém que entenda a linguagem das redes sociais;

2º- Planejar: é a lição de casa. Os canais devem falar a mesma língua, com linguagens diferentes adequadas a cada público. O público web é curioso, está acostumado a procurar tudo sobre algo que lhe interessa , e conferir em canais independentes se o que a empresa comunica condiz com qualidade do serviço prestado e do produto entregue. O planejamento vai nortear o resto do processo;

3º- Executar: o responsável por postar deve possuir familiaridade com as redes sociais, conhecer as ofertas e ter suporte dos profissionais da empresa. É importante ter cautela na seleção deste profissional/empresa porque é ele que transmitirá a palavra oficial da corporação na rede. De qualquer forma, todo o fluxo deve ser pensado de maneira que não perca a velocidade;

4º- Monitorar: toda ação deve ser monitorada para saber o retorno que proporciona. A vantagem da internet perante as outras mídias é a possibilidade de testar a eficiência antes. O monitoramento é o termômetro que vai direcionar investimentos e ajudar a definir os próximos passos;

5º- Avaliar: saber ler os números é fundamental. Um grande número de seguidores no Twitter ou fãs no Facebook ou integrantes na comunidade do Orkut não são garantia de sucesso da ação. Os resultados práticos vem com a priorização das vendas e do ganho do valor de marca.

Cláudio Coelho ainda cita cases com o da Fiat, que criou o modelo de carro Mio a partir das opiniões dos usuários da web, e do Bradesco que recebeu em seu SAC online uma reclamação em forma de poema e respondeu também em poema no mesmo dia. Neste último caso, Coelho afirma que a atitude do banco foi correta e ele acabou saindo na frente de empresas que não são rápidas para responder aos seus clientes.

É por isso que as empresas devem estar atentas. Atitudes como fazer um perfil em uma rede sem pensar em uma estratégia, ou ainda subestimar os efeitos que uma reclamação (ou o contrário) pode ter nesta plataforma, não dando um constante feedback ao usuário, podem causar sérios problemas a uma organização, como a queda na sua popularidade e até na sua reputação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conto com sua participação.Comente.

Postagens Recentes: