sexta-feira, 6 de maio de 2011

Brasil deve criar 1,7 mi de vagas este ano e faltarão profissionais qualificados

Cerca de 1,7 milhão de novas vagas de trabalho devem ser abertas neste ano no Brasil. E, considerando a rotatividade do mercado, outras 19,3 milhões de vagas devem ser abertas devido às demissões de trabalhadores em 2011, estima o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

As perspectivas foram traçadas levando-se em consideração que a economia crescerá 5% este ano. Dentre os setores da economia, o segmento de Comércio e Reparação deve gerar mais novos postos, em um total de mais de 646,3 mil vagas, seguida pela Indústria, com mais de 503 mil e Construção, com perspectiva de 168,3 mil novos postos de trabalho. Os três setores devem concentrar 73% do total das novas vagas que devem ser criadas neste ano.

Embora esses setores sejam os que mais devem gerar novos postos, eles também são os que mais sofrem com a rotatividade do mercado. Para 2011, somente o segmento de Comércio e Reparação deve contratar mais de 7,1 milhões de trabalhadores para ocuparem postos gerados por demissões. Nessas mesmas condições, os segmentos de Construção e a Indústria devem criar 2,7 milhões e 3,8 milhões de vagas.

Dentre os estados, São Paulo deve ser o que gerará mais vagas, com 523 mil novos postos, seguido por Minas Gerais (217 mil) e Rio de Janeiro (148 mil). No sentido contrário, o Acre deve ser o estado que, na avaliação dos pesquisadores, deve gerar menos postos em 2011, cerca de 374.

Qualificação

A pesquisa mostra que, considerando apenas a mão de obra desempregada com qualificação e experiência profissional, o número de novas vagas que devem ser geradas neste ano não será suficiente para absorver esses trabalhadores. Ao todo, 1,953 milhão de profissionais com experiência e qualificação estão desempregados.

Para este ano, apenas 761,6 mil trabalhadores com qualificação e experiência ingressarão no mercado, principalmente nos setores de Comércio e Reparação (183 mil), Outros serviços coletivos, sociais e pessoais (156 mil) e Indústria (139 mil).


Considerando os desempregados e aqueles que perderão seus cargos neste ano, a estimativa é que mais de 22 milhões de profissionais com experiência e qualificação tentarão buscar novas oportunidades no mercado este ano.

Apesar do grande contingente de profissionais aptos para ocupar os postos de trabalho, os pesquisadores do Ipea constataram que pode haver escassez de mão de obra qualificada no setor industrial, que sentirá falta de 35 mil trabalhadores qualificados e no estado do Maranhão, que precisará de 1,9 mil bons profissionais este ano.

Para os pesquisadores, os sinais de escassez de mão de obra qualificada e com experiência profissional deverá continuar se manifestando, cada vez em maior escala. “Mesmo assim, o Brasil deverá seguir com significativo excedente de força de trabalho, longe ainda do que se poderia esperar como pleno emprego global da mão de obra”, afirmaram os pesquisadores no estudo.

Temos como intuito postar notícias relevantes que foram divulgadas pela mídia e são de interesse do curso abordado neste blog. E por isso esta matéria foi retirada na íntegra da fonte acima citada, portanto, pertencem a ela todos os créditos autorais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conto com sua participação.Comente.

Postagens Recentes: